Jean L on G r me The Christian Martyrs Last Prayer Walters 37113Não podemos omitir-nos quando alguém vem publicamente ofender a Mãe de Deus e nossa.

No sábado, 19 de dezembro de 2015, poucos dias antes do Natal do Senhor, a TV Globo resolveu zombar de Nossa Senhora e das aparições de Fátima, no programa Zorra Total. A blasfêmia pode ser vista em https://www.youtube.com/watch?v=UfrxcCl5Eyc sob o título "Os três segredos de Fátima".

A atriz que zombeteiramente interpreta a Virgem Maria revela a três jovens alguns "segredos" relativos a novelas, filmes, todos eles já conhecidos pelos que assistem à "aparição". Por fim, a atriz propõe relevar um segredo relativo ao futebol, atraindo assim a atenção dos ouvintes. O "segredo" seria relativo ao jogador Ronaldinho e sua atuação na Copa de 1998. Quando está para revelar o "segredo", a atriz é presa por dois policiais, que alegam um possível envolvimento dela no crime de cartolagem.

A conduta dos atores e produtores se enquadra no artigo 209 do Código Penal:

Art. 208 - Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso: Pena - detenção, de um mês a um ano, ou multa.

O ultraje recebeu protesto da Arquidiocese de São Paulo em nota divulgada em https://www.facebook.com/arquiSP/posts/930482607029441

A nota termina citando uma advertência de Jesus:

“Se alguém escandalizar um destes pequeninos que creem em mim, melhor seria amarrar-lhe uma pedra de moinho ao pescoço e jogar ao mar". Mateus 18, 6

Não podemos omitir-nos quando alguém vem publicamente ofender a Mãe de Deus e nossa. Assine esta petição solicitando da Globo a retratação pública da ofensa cometida à Virgem Maria e a nós, seus filhos.

TEXTO DA PETIÇÃO: [http://www.citizengo.org/pt-pt/signit/32023/view]

Senhores produtores do programa Zorra Total

Nós, cristãos abaixo assinados, sentimo-nos ofendidos com a ofensa feita à Mãe de Deus e nossa no programa levado ao ar no dia 19 de dezembro de 2015.

Não é válido dizer que a única intenção do programa foi causar divertimento nos expectadores, pois não é lícito divertir-se com o que é sagrado nem zombar dos valores religiosos. A conduta dos atores e produtores enquadra-se no crime previsto no artigo 209 do Código Penal, em especial "vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso".

Como cristãos, exigimos da emissora um retratação cabal pela ofensa pública, tanto mais grave quando feita poucos dias antes da solenidade do Natal do Senhor.

Atenciosamente,

[Seu nome]

Um Santo Natal do Senhor a todos que assinam esta petição.

Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz

Presidente do Pró-Vida de Anápolis

Fonte: ZENIT.