litur

todastoptercas



Patti partilha sobre Maria, a esposa do Espírito Santo

Postado por em em Formação
  • Tamanho da fonte: Maior Menor
  • Acessos: 2704
  • 0 Comentários
  • Increver-se para receber atualizações
  • Imprimir

20160709 pregacaopatti04Aconteceu na manhã deste sábado (09), a segunda pregação de Patti Gallagher Mansfield no Congresso Nacional da Renovação Carismática Católica  do Brasil, em Aparecida (SP). Com o tema “Maria, esposa do Espírito Santo”, Patti contou seu testemunho sobre a presença da Virgem Maria em sua caminhada e falou sobre a necessidade da intercessão e confiança em Nossa Senhora.

No início da palestra, como aconteceu ontem (08), Patti manifestou o seu carinho pelo Brasil, disse ser uma grande alegria estar com os brasileiros durante o XXXII Congresso Nacional da RCCBRASIL.

Patty introduziu o tema da pregação lembrando que, neste dia 09 de julho, 2 dos seus netos estavam aniversariando. Patty discorreu sobre esse assunto fazendo uma relação com o amor da Virgem Maria sobre cada um dos seus filhos. Ela comparou ao fato de não ter esquecido este dia importante para seus netos, pois são crianças especiais para ela. Assim acontece com os filhos de Nossa Senhora, que são conhecidos individualmente por Ela que é a mãe de Deus e nossa. “Nossa Mãe Maria tem interesse pessoal em cada um de nós e ela deseja ter um relacionamento íntimo conosco”, disse Patti.

Usando a passagem do livro da Sabedoria, capítulo 07 e versículos 13-24, a pregadora fez uma alusão entre Nossa Senhora e a sabedoria, dizendo que da mesma maneira, Maria é para os homens um tesouro inesgotável; e os que a ‘adquirem’ preparam-se para se tornar amigos de Deus (cf. Sb 7,13-14).

Durante a pregação, Patti contou que quando subiu para a sala superior, no retiro de Duquesne, chegou na capela e ajoelhou-se diante do Santíssimo Sacramento e ali, sem entender, começou a tremer. Sua primeira reação foi ficar amedrontada e com vontade fugir, contudo, maior que o seu medo era o desejo de viver a grandiosidade de Deus. Ela pensou o quanto seria difícil abandonar seus planos pessoais para assumir os projetos de Deus. E diante disso, a sua oração foi esta: “Pai a Ti entrego minha vida, tudo o que quiser de mim eu acolho e, se for alguma forma de sofrimento eu também aceito. Mas, me aceita a seguir e amar Jesus como Ele ama... Em seguida eu me vi prostrada, imersa no amor de Deus...”. Patti acrescentou: “Aquela foi na verdade uma experiência da misericórdia de Deus... Eu não tinha feito nada para merecer aquela graça... 49 anos e meio depois eu não imaginaria que pessoas de todas as partes da Terra o conheceriam e experimentariam da mesma forma”.

No momento do batismo no Espírito Santo no final de semana de Duquesne, Patti partilhou que se identificou muito com Nossa Senhora. Logo em seguida, ela abriu a Bíblia e deparou-se com o cântico de Maria, relatado no livro de Lucas 1, 46-48.

“Estou proclamando isso pra vocês, simplesmente isso, mas com grande alegria, porque Maria é a Esposa do Espírito Santo. Se desejamos viver profundamente no Espírito, devemos viver profundamente em Maria. Maria e o Espírito unem-se no amor, e daí Jesus torna-se carne. Maria disse sim a ação do Espírito e foi assim que Jesus veio a nós e se tornou homem, e se encarnou no ventre de Maria ” destacou Patti.

A pregadora ainda destacou: “Mas da Cruz, do seu suspiro final, Ele não disse nada que não tivesse sentido... Jesus não disse ‘eis aí o teu modelo’. Ele disse ‘eis aí a tua mãe’, Jesus queria que o dom de Maria Mãe não fosse só para João, mas que esse presente fosse para todas as pessoas da face da Terra.

No final, Patti advertiu os participantes sobre o perigo no uso dos dons carismáticos, explicando que esse perigo pode acontecer caso o dom dado por Deus seja atribuído a nós mesmo, levando-nos a soberba.

Fonte: RCC Brasil.

0

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Visitante Domingo, 03 Julho 2022