litur

todastoptercas



Bens espirituais são fonte de comunhão entre os cristãos, diz Papa Francisco

Postado por em em Notícias
  • Tamanho da fonte: Maior Menor
  • Acessos: 3015
  • 0 Comentários
  • Increver-se para receber atualizações
  • Imprimir

papacatequese03Na Praça São Pedro, em Roma, Papa Francisco deu continuidade à Catequese iniciada quarta-feira passada (30), com o tema “Comunhão dos santos”. Retomando a audiência passada, lembrou os dois aspectos importantes relacionados ao tema: a comunhão entre os cristãos e a comunhão nas coisas santas. Os outros três aspectos abordados hoje falaram sobre os sacramentos, os carismas e a caridade.

 

Partindo do primeiro aspecto, o Pontífice declarou que os sacramentos não são simbologias aparentes, mas são a presença do próprio Cristo. Segundo ele, “se por um lado é a Igreja que “faz” os sacramentos, por outro são os sacramentos que “fazem” a Igreja, edificam-na, gerando novos filhos, agregando-os ao povo santo de Deus, consolidando a sua pertença”.

 

O Santo Padre ainda ressaltou que os sacramentos fazem o convite aos cristãos a irem comunicar a salvação. “Os sacramentos nos impelem a ser missionários, e o empenho apostólico de levar o Evangelho a todo ambiente, mesmo naqueles mais hostis, constitui o fruto mais autêntico de uma assídua vida sacramental”, afirmou.

 

O segundo ponto tratado pelo Papa foi a comunhão nos carismas. “O Espírito Santo distribui entre os fiéis uma infinidade de dons e de graças espirituais; esta riqueza, digamos, “fantasiosa” dos dons do Espírito Santo é destinada à edificação da Igreja”. E citando 1 Ts 5, 19, em que São Paulo faz a advertência para não extinguirmos o Espírito, também advertiu: “Não extingamos o Espírito que nos dá estes presentes, estas habilidades, estas virtudes tão belas que fazem a Igreja crescer”.

 

“Os carismas são importantes na vida da comunidade cristã, mas são sempre meios para crescer na caridade, no amor, que São Paulo coloca acima dos carismas” (cf 1 Cor 13, 1-13). Este foi o terceiro aspecto tratado por Francisco. Falando firmemente sobre a necessidade do serviço feito com amor, pois sem este, todos os outros dons não servem à Igreja, “porque onde não há amor, há um vazio que é preenchido pelo egoísmo”.

 

O Pontífice chamou a atenção à indiferença com o próximo e pediu cuidado: “com mau humor, frieza, egoísmo não se pode fazer crescer a Igreja; a Igreja cresce somente com amor que vem do Espírito Santo. O Senhor nos convida a abrir-nos à comunhão com Ele, nos sacramentos, nos carismas e na caridade, para viver de maneira digna a nossa vocação cristã!”.

 

Papa Francisco encerrou a Catequese com um momento de oração: “Antes de vir aqui na praça fui encontrar uma menina de um ano e meio com uma doença gravíssima. (...) Chama-se Noemi. Sorria, pobrezinha! (...) Não a conhecemos, mas é uma menina batizada, é uma de nós, é uma cristã. Façamos um ato de amor por ela e em silêncio peçamos que o Senhor a ajude neste momento e lhe dê saúde”.

 

Depois de rezar junto aos milhares de fiéis na Praça Pedro uma Ave-Maria pela saúde da pequena menina, o Papa agradeceu o ato de caridade.

 

A catequese na íntegra está disponível no site do Vaticano, no idioma italiano.

 

 

 

Fonte: RCCBRASIL

0

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Visitante Quarta, 29 Junho 2022