litur

todastoptercas



O Grupo

Postado em Institucional

Grupo de Oração Filhos de Maria

Somos um Grupo de Oração da Renovação Carismática Católica, pertencemos a Paróquia Santo Antonio da Arquidiocese de Cascavel (PR).
Nosso grupo acontece todas as terças-feiras a partir das 19:30 h, com a oração do Santo Terço, animação musical, oração, pregação da Palavra de Deus, louvor e testemunhos das maravilhas que Deus realiza na vida de todos que Dele se aproximam.
Desde o inicio, o carisma do nosso grupo é acolhida, cura e libertação, como podemos atestar no link dos testemunhos. São inúmeras pessoas que, no primeiro encontro que participaram, ao receberem o abraço de acolhida, já puderam sentir todo amor curador e libertador de nosso Deus.
Sabemos que nosso grupo é idealizado, projetado e realizado pelo Espírito Santo, e todo grupo de servos se prepara para colocar a estrutura de funcionamento do grupo a serviço de Deus, da Igreja e dos irmãos.

Nossa História

Em abril de 1986, após uma experiência com Jesus, Vivo e Ressuscitado, em um retiro da R.C.C, duas senhoras da nossa paróquia, contando com o acompanhamento de uma religiosa Serva do Espírito Santo, iniciaram o grupo de oração, na capela do Colégio Santa Maria, todas as segundas-feiras as 13.30 h. A este pequeno grupo foi se juntando senhoras, mães, esposas, avós, sogras, filhas, enfim, mulheres com sede de Deus e com muitas necessidades em suas vidas e nas suas famílias. Sendo o local, um tanto pequeno, o grupo foi transferido para a igreja, e continuou acontecendo nas segundas-feiras à tarde, mas surgindo inúmeros pedidos de pessoas que durante o dia não poderiam participar por causa do trabalho, o grupo então passou a se realizar as terças-feiras a noite, como acontece até hoje.
A palavra escrita pelo apostolo Paulo, em sua primeira carta aos Corintios, foi à luz e o passaporte, para que este, então, pequeno grupo, fosse caminhando:
“Anunciar o Evangelho, não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, seu eu não anunciar o Evangelho!.” (1 Cor. 9, 16).