litur

todastoptercas



admin

admin ainda não escreveu nenhuma biografia

Udienza oggi 740x493Papa Francisco na catequese da audiência geral desta quarta-feira na Praça S. Pedro, prosseguiu com o tema da esperanza.

Acessos: 1296
0

Schermata 2015 05 23 alle 11 42 20 740x493(ZENIT - O Convivium de Santo Agostinho, Basílica da Santíssima Trindade, em Fátima, acolhe hoje 3 de maio primeira visita temática à exposição temporária “As Cores do Sol – A Luz de Fátima no Mundo Contemporâneo”.

Acessos: 1400
0

Postado por em em Notícias

20170428 profissionais 04Na próxima segunda-feira (01/05), carismáticos de todo o Brasil irão se reunir para o projeto Primeiro de Maio- de Deus é o nosso trabalho. Seguindo a temática da RCC em todo o país, neste ano o evento tem como tema a passagem do Evangelho de São Lucas 1,35: ​“O Espírito Santo descerá sobre ti” , e o lema ​“A Esperança não decepciona, pois o Amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.” ​ (Rm,5,5).

Acessos: 1071
0

Schermata 2017 04 29 alle 12.38.26 740x493O texto completo da homilia do papa Francisco

Al Salamò Alaikum (A paz esteja convosco)!

Hoje, o Evangelho do terceiro domingo de Páscoa fala-nos do itinerário dos dois discípulos de Emaús que deixaram Jerusalém. Um Evangelho que se pode resumir em três palavras: morte, ressurreição e vida.

Acessos: 1324
0

Capture décran 4257 740x493“O que diz a Igreja a tantas tragédias? ” perguntou o Papa Francisco durante a homilia da missa de Páscoa em Praça de São Pedro, na presença de cerca de 60 000 pessoas, domingo, 16 de abril, 2017. Ele convidou a apostar em Cristo ressuscitado.

Acessos: 1158
0

Misa crismal 2017 en S Pedro 740x493

(ZENIT – Cidade do Vaticano, 13 Abr. 2017).-  O Papa Francisco celebrou nesta Quinta-feira Santa, a Missa Crismal na Basílica de São Pedro, com os cardeais, bispos e sacerdotes presentes em Roma.

 

No dia em que a Igreja recorda a instituição da Eucaristia e do Sacerdócio lembrou que “assim como o Senhor foi ungido pelo Espírito, os sacerdotes, ungidos em seus pecados com o óleo do perdão e no seu carisma com o óleo da missão, devem ungir os outros”.

Apresentamos a seguir a homilia que o Papa Francisco pronunciou:

«O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu para anunciar a Boa-Nova aos pobres; enviou-me a proclamar a libertação aos cativos e, aos cegos, a recuperação da vista; a mandar em liberdade os oprimidos» (Lc 4, 18).

O Senhor, Ungido pelo Espírito, leva a Boa-Nova aos pobres. Tudo aquilo que Jesus anuncia é Boa-Nova; alegra com a alegria evangélica; e o mesmo se diga de nós, sacerdotes, de quem foi ungido em seus pecados com o óleo do perdão, e ungido no seu carisma com o óleo da missão, para ungir os outros. E, tal como Jesus, o sacerdote torna jubiloso o anúncio com toda a sua pessoa.

Quando pronuncia a homilia – breve, se possível –, fá-lo com a alegria que toca o coração do seu povo, valendo-se da Palavra com que o Senhor o tocou na sua oração. Como qualquer discípulo missionário, o sacerdote torna jubiloso o anúncio com todo o seu ser. Aliás, como todos experimentamos, são precisamente os detalhes mais insignificantes que melhor contêm e comunicam a alegria: o detalhe de quem dá um pequeno passo a mais, fazendo com que a misericórdia transborde nas terras de ninguém; o detalhe de quem se decide a concretizar, fixando dia e hora para o encontro; o detalhe de quem deixa, com suave disponibilidade, que ocupem o seu tempo…

A Boa-Nova pode parecer simplesmente um modo diferente de dizer «Evangelho», como «feliz anúncio» ou «boa notícia». Todavia contém algo que compendia em si tudo o mais: a alegria do Evangelho. Compendia tudo, porque é jubilosa em si mesma. A Boa-Nova é a pérola preciosa do Evangelho. Não é um objeto; mas uma missão. Bem o sabe quem experimenta «a suave e reconfortante alegria de evangelizar» (Exort. ap. Evangelii gaudium, 10).

A Boa-Nova nasce da Unção. A primeira, a «grande unção sacerdotal» de Jesus, é a que fez o Espírito Santo no seio de Maria. Naqueles dias, a boa-nova da Anunciação fez a Virgem Mãe cantar o Magnificat, encheu de um sacro silêncio o coração de José, seu esposo, e fez saltar de gozo João no seio de sua mãe Isabel. Hoje, Jesus regressa a Nazaré e a alegria do Espírito renova a Unção na pequena sinagoga local: o Espírito pousa e espalha-Se sobre Ele, ungindo-O com o óleo da alegria (cf. Sal 45/44, 8).

A Boa-Nova. Uma única palavra – Evangelho – que, no ato de ser anunciada, se torna verdade jubilosa e misericordiosa. Que ninguém procure separar estas três graças do Evangelho: a sua Verdade – não negociável – , a sua Misericórdia – incondicional com todos os pecadores – e a sua Alegria – íntima e inclusiva. Nunca a verdade da Boa-Nova poderá ser apenas uma verdade abstrata, uma daquelas que não se encarnam plenamente na vida das pessoas, porque se sentem mais confortáveis na palavra escrita dos livros.

Nunca a misericórdia da Boa-Nova poderá ser uma falsa compaixão, que deixa o pecador na sua miséria, não lhe dando a mão para se levantar nem o acompanhando para dar um passo mais no seu compromisso. Nunca a Boa-Nova poderá ser triste ou neutra, porque é expressão duma alegria inteiramente pessoal: «a alegria dum Pai que não quer que se perca nenhum dos seus pequeninos» (Exort. ap. Evangelii gaudium, 237): a alegria de Jesus, ao ver que os pobres são evangelizados e que os pequeninos saem a evangelizar (cf. ibid., 5).

As alegrias do Evangelho – uso agora o plural, porque são muitas e variadas, segundo o modo como o Espírito as quer comunicar em cada época, a cada pessoa, em cada cultura particular – são alegrias especiais. Chegam-nos em odres novos, aqueles de que fala o Senhor para expressar a novidade da sua mensagem.

Partilho convosco, queridos sacerdotes, queridos irmãos, três ícones de odres novos em que a Boa-Nova se conserva bem, não se torna vinagrenta e se derrama em abundância. Um ícone da Boa-Nova é o das talhas de pedra das bodas de Caná (cf. Jo 2, 6). Num detalhe, as talhas espelham bem aquele Odre perfeito que é – em Si mesma, toda inteira – Nossa Senhora, a Virgem Maria. Diz o Evangelho que «as encheram até acima» (Jo 2, 7).

Imagino que algum dos serventes terá olhado para Maria para ver se já bastava assim, e terá havido um gesto com o qual Ela terá dito para acrescentar mais um balde. Maria é o odre novo da plenitude contagiosa. É «a serva humilde do Pai, que transborda de alegria no louvor» (Exort. ap. Evangelii gaudium, 286), é a Nossa Senhora da prontidão, Aquela que acabara de conceber em seu seio imaculado o Verbo da vida e já parte para ir visitar e servir a sua prima Isabel.

A sua plenitude contagiosa permite-nos superar a tentação do medo: não ter coragem de se deixar encher até acima, aquela pusilanimidade de não ir contagiar de alegria os outros. Não haja nada disto, porque «a alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus» (ibid., 1).

O segundo ícone da Boa-Nova é aquele cântaro – com a sua concha de pau – que trazia à cabeça a Samaritana, sob o sol ardente do meio-dia (cf. Jo 4, 5-30). Expressa bem uma questão essencial: ser concreto. O Senhor, que é a Fonte de Água viva, não tinha um meio para tirar água e beber alguns goles. E a Samaritana tirou água do seu cântaro com a concha e saciou a sede do Senhor.

E saciou-a ainda mais com a confissão dos seus pecados concretos. Agitando o odre daquela alma samaritana, transbordante de misericórdia, o Espírito Santo derramou-Se sobre todos os habitantes daquela pequena cidade, que convidaram o Senhor a demorar-Se no meio deles. Um odre novo com esta concretização inclusiva, no-lo presenteou o Senhor na alma «samaritana» que foi Madre Teresa de Calcutá. Ele chamou-a e disse-lhe: «Tenho sede». «Vem, pequenina minha! Leva-Me aos tugúrios dos pobres. Vem! Sê a minha luz. Não posso ir sozinho. Não Me conhecem, por isso não Me querem. Leva-Me a eles». E ela, começando por um pobre concreto, com o seu sorriso e o seu modo de tocar as feridas com as mãos, levou a Boa-Nova a todos.

O terceiro ícone da Boa-Nova é o Odre imenso do Coração trespassado do Senhor: integridade suave, humilde e pobre, que atrai todos a Si. D’Ele devemos aprender que, anunciar uma grande alegria àqueles que são muito pobres, só se pode fazer de forma respeitosa e humilde, até à humilhação. A evangelização não pode ser presunçosa. Não pode ser rígida a integridade da verdade. O Espírito anuncia e ensina «a verdade completa» (Jo 16, 13), e não tem medo de a dar a beber aos goles. O Espírito diz-nos, em cada momento, aquilo que devemos dizer aos nossos adversários (cf. Mt 10, 19) e ilumina-nos sobre o pequeno passo em frente que podemos dar naquele momento.

Esta integridade suave dá alegria aos pobres, reanima os pecadores, faz respirar aqueles que estão oprimidos pelo demónio. Queridos sacerdotes, contemplando e bebendo destes três odres novos, que a Boa-Nova tenha em nós a plenitude contagiosa que Nossa Senhora transmite com todo o seu ser, a concretização inclusiva do anúncio da Samaritana e a integridade suave com que o Espírito jorra e Se derrama incessantemente a partir do Coração trespassado de Jesus, Nosso Senhor.

Fonte: Zenit.

Acessos: 1328
0

1 0 679141« Na misericórdia de Deus o mundo encontrará a paz, e o homem a felicidade! » disse Papa João Paulo II (18 de maio1920-2 de abril de 2005): era seu legado espiritual, que hoje nos lembramos porque é o 12º aniversário da morte sau.Papa João Paulo II morreu na noite de sábado, abril 2, 2005, na

Acessos: 1254
0

Postado por em em Notícias

untitledPapa Francisco convida todos a confiar sua vida a Maria “nossa Mãe”, e “o destino da Igreja e do mundo”.

Acessos: 1108
0

cartaz cf04Já são mais de 50 anos de Campanha da Fraternidade no Brasil e pode ser que você ainda não saiba para que ela existe, seus objetivos, suas finalidades. Conheça os motivos que nos levam a aprender hinos novos e acolher o espírito quaresmal de uma forma toda especial e, digamos, “brasileira”.

Acessos: 1059
0

Video Worldwatervalues org Cidade do Vaticano, 22 Mar. 2017).- O Papa Francisco no Dia Mundial da Água que hoje se celebra, ao saudar na Audiência geral os participantes na Conferência internacional organizada pelo Pontifício Conselho para a Cultura, falou da “necessidade de proteger a água como um bem de todos, valorizando também os seus significados culturais e religiosos

Acessos: 1310
0

papa a cruz(ZENIT – Cidade do Vaticano. Mar. 2017) – O papa Francisco antes do Angelus, desde domingo 12 março na Praça São Pedro,

Acessos: 1512
0

santa marta(ZENIT – Cidade do Vaticano. Març. 2017).- O verdadeiro jejum é ajudar os outros.

Acessos: 1146
0

para“Entre vós, entre o Colégio Cardinalício, está também o futuro Papa ao qual já hoje prometo a minha reverência e obediência incondicionadas”,

Acessos: 1225
0

unnamed“A Palavra é um dom. O outro é um dom”: este é o tema do Mensagem do papa Francisco para a Quaresma 2017, publicado no Vaticano na este terça-feira fevereiro 7, 2017

Acessos: 1622
0

Postado por em em Notícias

enf programacao04Foi divulgada na tarde dessa quinta-feira (05) aprogramação do Encontro Nacional de Formação para Coordenadores e Ministérios, o ENF de Ouro, que acontecerá de 25 a 29 de janeiro, no Centro de Eventos Padre Victor Coelho de Almeida, em Aparecida/SP.

Acessos: 1722
0

Postado por em em Notícias

20170102 jnl 04Chegaram as férias de final e início de ano, tempo muito aguardado por todos os membros do Ministério Jovem que neste período “agitam” as praias e cidades do nosso país com muita evangelização, oração e convivência fraterna.

 

Acessos: 1284
0

Postado por em em Formação

20161205 defesadavida 04Amados irmãos em Cristo Jesus!

Acessos: 1689
0

20161201 jubileu rcc 04De 28 de junho a 02 de julho de 2017, a RCCBRASIL e a Frater (Fraternidade Católica no Brasil) irão realizar oevento comemorativo aos 50 anos da Renovação Carismática Católica.

Acessos: 1513
0

cançãoDe 09 a 11 de dezembro de 2016, em Cachoeira Paulista (SP), no Auditório São Paulo, na Sede da Comunidade Canção Nova, acontecerá o II Encontro Católico Latino-Americano de Magistrados, membros do Ministério Público, servidores do meio jurídico e suas famílias.

 

Acessos: 1504
0

Postado por em em Formação

untitledNo próximo dia 20, encerraremos o Ano da Misericórdia. Iniciado no dia 08 de dezembro de 2015 e proclamado pelo Papa Francisco, esse ano jubilar foi essencial para que a Igreja pudesse mergulhar na experiência do amor misericordioso de Deus.

Acessos: 1724
0